Uma Iniciativa Febraban

No mês das mães, que tal presenteá-la com noites de sono tranquilas?

Veja como pôr sua vida financeira em ordem e encher sua mãe de orgulho


Se tem algo que toda mãe ama ganhar de presente são noites tranquilas. Afinal, nós filhos, temos um talento especial para tirar seu sono. Quando bebês, acordamos nas madrugadas. Na adolescência, nossas festas e baladas não a deixam sossegada. E quando finalmente crescemos, começamos a trabalhar e ganhar dinheiro, muitas vezes, aparecem o atraso nas parcelas do financiamento, o cartão de crédito estourado e pronto! Lá se foi a tão sonhada tranquilidade da mamãe.

Por outro lado, nem sempre os filhos crescidos têm autonomia financeira ou ajudam em casa. Uma pesquisa americana diz que uma em cada três famílias apoia financeiramente filhos adultos. Arcam com despesas de transporte, pagam contas da casa onde os filhos moram, custeiam empréstimos estudantis, entre outras. De acordo com o IBGE, as mulheres chefiam cerca de 40% dos lares brasileiros, em boa parte, totalmente sozinhas. Ou seja, muitas mães brasileiras estão deixando de gastar consigo mesmas e de poupar para sua aposentadoria para apoiar financeiramente os filhos crescidos.


Se você é um adulto saudável e ainda depende de sua mãe

Talvez seja a hora de crescer e assumir de vez a sua independência. Veja alguns passos para tomar as rédeas da própria vida e voltar a ser chamado de “orgulho da mamãe”.

Descubra quanto você custa em casa

Se você vive com sua mãe e/ou pai e irmãos, pegue as contas compartilhadas da família (moradia, alimentação, água e luz, telefonia, internet e transporte) e divida-as pelo número de moradores da casa. Assim você terá uma ideia de quanto sua mãe poderia economizar se não precisasse pagar por suas despesas.

Demonstre interesse em ajudar nas contas e tarefas

Sabendo quanto você custa por mês, há diversas formas de ajudar: se estiver trabalhando, ofereça para pagar algumas contas e aliviar as despesas da casa. Se estiver desempregado ou estudando, assuma a responsabilidade de algumas tarefas na casa, como cuidar do irmão mais novo, fazer pequenos consertos ou pintar paredes, cortar a grama ou passar a roupa.

Poupe o dinheiro dela primeiro, depois o seu

Se você tem o hábito de guardar seu dinheiro, mas sua mãe paga por todos os seus caprichos, não está poupando de fato. Poupar requer abrir mão de desejos no presente em prol de conquistas futuras. Reveja suas prioridades e alivie o bolso dela, assumindo seus próprios gastos. Talvez você poupe um pouco menos, mas o exercício será importante para você avaliar o que realmente importa.

Seja pontual com suas contas

Se você já ajuda financeiramente em casa, cuidado para não atrasar seus compromissos e ter os serviços básicos da casa cortados. Há várias maneiras de programar os pagamentos com antecedência: coloque as contas em débito automático, pendure-as na geladeira ou marque em um calendário em local bem visível para não esquecer a data de vencimento. Outra maneira é cadastrar a conta no Jimbo assim que ela chegar e marcar a opção “lembrete” para ser avisado quando ela for vencer.

Busque outras alternativas para socorro financeiro

Se você se enrolou com suas contas, evite cair no hábito de pedir sempre ajuda à sua mãe. Pense em outras opções para levantar dinheiro, como vender sua coleção de gibis antigos, fazer brigadeiros para vender na faculdade, rifar seu Playstation, oferecer serviços de manicure às amigas ou procurar um “bico” temporário para complementar sua renda e retomar o equilíbrio. Acredite, o esforço para sair sozinho da situação será importante para seu crescimento como pessoa. Você vai se sentir muito mais forte e sua mãe ficará orgulhosa!

Incentive sua mãe a cuidar mais de si mesma

Que tal presentear sua mãe com um dia de cuidados pessoais? Se você puder pagar, ótimo! Se não, ofereça-se para cuidar das obrigações domésticas e libere-a para tirar um tempo para si mesma uma vez por mês. Ela merece!


Se você é mãe de um filho adulto dependente

Por que será que filhos adultos se comportam como crianças? Qual será a responsabilidade das mães nessa história? Como mães, queremos nos sentir úteis, amadas e importantes, mas não é resolvendo os problemas por eles que iremos conquistar seu coração.

Pagar as contas do filho adulto, acertar suas dívidas e sustentar seus caprichos são maneiras de reforçar sua dependência e passar a seguinte mensagem: “Você precisa de mim para viver, sem mim você não é capaz de tomar conta de sua vida”.

Se você deseja formar um adulto independente, responsável e confiante, é hora de aprender a dizer não. Esteja por perto quando ele precisar, mas não assuma a responsabilidade pelas contas e tarefas dele. Ao colocar limites na relação, você o incentiva a buscar seus próprios meios para solucionar desafios, superar adversidades e voar com as próprias asas. E ganha sua tranquilidade tão merecida.

Feliz dia das mães!



Matérias Relacionadas

Mulheres e dinheiro: uma delicada relação

Crianças e dinheiro

Presença, o melhor presente

Prepare-se para viver sem dívidas

Brincar sem Consumir - Educação financeira desde cedo

Como Renegociar Dívidas e limpar o seu nome