Uma Iniciativa Febraban

Não espere o final do ano para pôr a vida em ordem

6 passos para começar o semestre com o pé direito e fechar 2017 com os planos e o bolso em dia












Com a correria do cotidiano, a vida acontece assim, num “piscar de olhos”. E quando menos se espera, chegamos à metade do ano. Ótimo momento para fazer um balanço e olhar como andam nossos projetos.

Sabe aquelas metas que costumamos planejar na virada do ano, como cuidar da saúde, estudar, realizar algumas conquistas materiais, pagar dívidas e poupar dinheiro? É hora de avaliá-las, ver quais delas merecem ser um esforço adicional para irem em frente, quais devem ser adiadas, revistas ou modificadas. Essa reflexão ajuda a tomar as decisões necessárias para acelerar a realização de planos ou corrigir a rota para chegar ao fim do ano com a sensação de missão cumprida. Veja o passo a passo para fazer isso e mãos à obra!


Procure um lugar confortável e um momento tranquilo para relembrar tudo o que você projetou para o ano. Faça uma lista do que você tinha em mente e marque os itens que já conseguiu realizar ou que estão em andamento. Celebre as conquistas!




Pense sobre os motivos que o levaram a adiá-los. Pode ser que algo tenha mudado em sua vida e certos planos deixaram de ser prioridade. Faça uma limpeza na lista e procure manter apenas aqueles planos que você ainda deseja concretizar ou iniciar.




É comum responsabilizarmos o dinheiro (ou a falta dele) pelos planos que deixamos de realizar. Para que seu balanço de meio de ano seja eficaz, cheque sua situação financeira. Use uma tabela mês a mês, o aplicativo Jimbo, um caderno de anotações ou qualquer ferramenta que ajude você a identificar em qual das seguintes situações você se encontra:

a) Saldo negativo: É a condição de quem gasta mais do que recebe. O salário termina antes do fim do mês e a pessoa se vê obrigada a entrar no cheque especial, pagar o mínimo ou parcelar a fatura do cartão de crédito ou deixar de honrar outros compromissos, como as contas de água, luz ou telefone. Essa situação gera inadimplência e pode levar ao superendividamento. Se você está nela, vá para o passo 4.

b) Saldo empatado: É quando os gastos se equivalem aos ganhos. A pessoa vive no limite de seu salário, não consegue guardar dinheiro, embora pague suas contas em dia. É uma situação arriscada, pois, se algum imprevisto ocorrer, ela pode facilmente entrar no saldo negativo. Além disso, quem vive empatado tem mais dificuldades para realizar seus planos, pois nunca tem sobra. Se esse é o seu caso, pule para o passo 5.

c) Saldo positivo: Ocorre quando a renda supera os gastos mensais, garantindo uma sobra financeira que pode ser usada para adiantar parcelas de financiamentos já contratados ou investir para planos futuros. Sem dúvida é a situação mais confortável e que oferece maior liberdade de escolha para quem a usufrui. Se esse é seu caso, vá direto ao passo 6.




Se você está nessa situação, a prioridade deve ser superá-la. Para isso, algumas ações serão necessárias:

a) Levante todas as dívidas: some tudo que deve no cartão de crédito, cheque especial, créditos pessoais, contas atrasadas, etc. É importante ter uma noção desse montante. 

b) Mantenha o essencial e corte o supérfluo: a situação de emergência exige ações enérgicas. Às vezes, vale a pena repensar seu estilo de vida e abrir mão de certos confortos em prol de tranquilidade. Os outros planos terão que esperar, até que você restabeleça o equilíbrio.

c) Renegocie as dívidas de juros mais altos: cartão de crédito, cheque especial e empréstimos pessoais têm as taxas de juros mais altas, portanto, devem ser atacados primeiro. Procure os credores e ofereça uma proposta viável, que você possa cumprir. Veja como renegociar suas dívidas e limpar seu nome.

d) Procure fontes de renda extra: assim você acelera o pagamento das dívidas e pode até descobrir algum talento que pode virar dinheiro. Veja como fazer renda extra nas horas vagas.




Se seu saldo está empatado, seus planos podem acabar empacados. Para superar essa situação:

a) Faça pequenas mudanças: um gasto à toa aqui, outro ali e o dinheiro pode escorrer pelos dedos. Revise suas despesas mensais e faça pequenos ajustes no dia a dia, como levar marmita para o escritório, desligar a TV quando não estiver usando ou poupar o troco das compras. Veja como fazer uma caça aos gastos invisíveis e economizar. 

b) Não espere sobrar para poupar: outra dica para quem vive no empate financeiro é programar uma aplicação mensal para o dia em que recebe o salário. Comece com um valor baixo, mas mantenha a regularidade. Assim, você vai se educando a poupar primeiro e viver com o dinheiro que sobra.

c) Venda algo que está parado em casa: que tal aproveitar o meio do ano para fazer uma limpeza nos armários e estantes? Acumulamos muitas coisas que poderiam servir para outras pessoas e virar dinheiro para uma reserva financeira. Separe um final de semana, chame a família e os amigos para ajudar e organize um bazar de roupas, eletrodomésticos, livros e brinquedos. Assim você libera espaço para as conquistas que irá realizar ao longo do ano e sai do empate.




Se seu saldo está positivo, significa que o mais difícil você já conseguiu, ou seja, tem controle de suas contas, consegue viver com menos do que ganha e sobra um pouco para realizar planos e sonhos. Para investir de forma inteligente e acelerar suas conquistas:

a) Monte uma reserva de emergência: a primeira providência para quem está com sobra de caixa é prevenir-se contra imprevistos. Recomenda-se investir o valor equivalente a pelo menos três meses de despesas em aplicações com alta disponibilidade, ou seja, que você possa retirar quando precisar. Assim, se queimar o chuveiro, o carro enguiçar ou alguém perder o emprego, não será necessário recorrer a crédito. A poupança ou o tesouro Selic são indicadas nesses casos. Para saber mais, leia a matéria Prepare-se para tirar seus planos do papel.

b) Aproveite as pechinchas: Se seus planos incluem construir, reformar, trocar de carro ou eletrodomésticos, aproveite o dinheiro em caixa para negociar bons descontos no comércio. A crise traz também oportunidades para quem tem sobra de recursos em conta, e o meio do ano geralmente é a época com as maiores quedas em vendas. Os comerciantes estarão mais abertos à negociação para bater suas metas.

c) Invista para o futuro: Se você já montou sua reserva de emergência e seus planos estão a pleno vapor, pense nos próximos anos e busque investimentos que tenham rendimentos um pouco melhores, com a condição de que seu dinheiro não fique tão disponível para retiradas, como CDBs e LCIs, por exemplo. Leia a matéria perguntar não ofende e prepare-se para falar com seu gerente sobre investimentos.




Matérias Relacionadas

Você sabe para onde vai seu dinheiro?

Prepare-se para tirar seus planos do papel

Você tem um sonho? Mãos à obra para realizar

O que fazer quando o dinheiro acaba antes do previsto

Crédito fácil? Cuidado, ele pode ter um preço alto

5 truques (testados e aprovados) para guardar dinheiro