Uma Iniciativa Febraban

Negociação de dívidas com os bancos

Conheça os serviços e canais aos quais você pode recorrer para fazer acordos

 

No Brasil, 59,8% das famílias estão endividadas, ou seja, têm parte de sua renda atual e futura comprometida com carnês de lojas, cheques pré-datados, empréstimos, prestação do carro, cartão de crédito e cheque especial.

Quando há planejamento e as parcelas e cabem no bolso, isso não é um problema. Para muitas pessoas, recorrer a empréstimos e financiamentos é a única maneira de realizar sonhos e construir um patrimônio. A questão é que 22,8% das famílias estão inadimplentes e 9,2% dizem que não conseguirão pagar as prestações atrasadas.

Os dados acima são de dezembro de 2018 e foram apurados pela Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo.

Se você está nessa situação, saiba que é possível sair das dívidas e pôr a vida em ordem. Comece organizando as finanças familiares. Veja um passo a passo para fazer isso na matéria Prepare-se para viver sem dívidas. A etapa seguinte é procurar os credores para negociar o pagamento.

No caso dos bancos, há uma série de serviços e canais de atendimento, por isso, é importante entender o que você pode fazer em cada um deles para não perder tempo e direcionar corretamente suas questões. Confira!

 

Para realizar transações:

# Internet banking e aplicativos: são utilizados para realizar praticamente todas as operações bancárias, exceto saques.

# Agências e estabelecimentos credenciados como correspondentes: são destinados preferencialmente a operações bancárias que não podem ser feitas pelos canais eletrônicos.

# Caixas eletrônicos e Banco 24 Horas: autoatendimento para saques, depósitos, pagamentos e outras operações.

# Central de Atendimento: para realizar operações bancárias como consultas a saldos e a extrato, transferências, pagamentos de contas e tributos, aplicação e resgate de investimentos, pedidos de talões de cheque, tirar dúvidas sobre produtos e serviços e obter todas as informações sobre sua conta corrente.

 

Canais específicos para negociar dívidas:

A maioria dos bancos possui plataformas online para facilitar o processo de renegociação de dívidas. Em geral, você preenche um pequeno cadastro e já é direcionado para a área de negociação. Conheça algumas das plataformas disponibilizadas pelas instituições: Santander, Itaú, Caixa, Banco do Brasil, Bradesco, Banco Votorantim.

 

Para esclarecimentos de dúvidas e reclamações:

# SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor): canal exclusivo para reclamações, cancelamentos e informações gerais sobre produtos e serviços.

# Ouvidoria: atende exclusivamente questões não solucionadas nos demais canais de atendimento. Quando necessário, ligue para a Ouvidoria do seu banco e peça uma reavaliação do caso.

 

Outros canais aos quais você pode recorrer:

# Consumidor.gov.br: apoiado pela Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN), o portal www.consumidor.gov.br é uma iniciativa criada pelo Ministério da Justiça para promover a resolução de conflitos de forma rápida e descomplicada. A plataforma aproxima consumidores e fornecedores de produtos e serviços, facilitando a negociação e o fechamento de acordos. Você pode recorrer a esse canal se o banco ou outra empresa com a qual você deseja negociar fizer parte da iniciativa. Veja a lista completa de participantes.

O processo é bem simples. Basta entrar no site www.consumidor.gov.br, digitar o nome da empresa com a qual você quer negociar e escolher a opção “registrar reclamação”. No primeiro cesso, é necessário fazer um cadastro. Escolha a empresa e o assunto ‘negociação de dívidas’; em seguida você faz o relato de seu problema e a sua proposta de negociação. Se for o caso, anexe documentos. O formulário é enviado à instituição, que deverá responder, em média, dentro de sete dias úteis. Você pode acompanhar o andamento de sua solicitação pelo próprio site.

# Conte Aqui: esse canal é mantido pela FEBRABAN e serve para comunicar casos de descumprimento de qualquer normativo da Autorregulação Bancária, um conjunto de regras criadas pelos bancos para promover boas práticas do setor no relacionamento com os consumidores. Sempre que alguém registra o descumprimento de uma norma, a informação passa a integrar o Plano de Monitoramento da Autorregulação. Saiba mais: Conte Aqui.

# Atendimento do Banco Central: órgão que regula o funcionamento das instituições financeiras no país, o Banco Central do Brasil atende pedidos de informações sobre o sistema financeiro nacional e recebe reclamações sobre serviços oferecidos pelas instituições. A plataforma não intermedia a resolução de conflitos nem soluciona problemas entre pessoas e os bancos. Nesse caso, além dos canais oferecidos pelas instituições e do portal www.consumidor.gov.br, podem ser procurados os órgãos de defesa do consumidor.

 

Autorregulação Bancária define boas práticas na negociação

O Normativo 018/2018 – Tratamento e Negociação de Dívidas do Sistema de Autorregulação Bancária da FEBRABAN define algumas práticas que devem ser adotadas pelas instituições financeiras no processo de negociação de dívidas.

Os bancos devem oferecer, por exemplo, opções de parcelamento, descontos para pagamento antecipado e outras soluções para facilitar que o consumidor saia do endividamento, oferecendo orientação clara e respeitando suas condições financeiras. Saiba mais sobre a Autorregulação.



Matérias Relacionadas

12 perguntas e respostas sobre quitação de dívidas

Como ajudar um amigo endividado

Vale a pena pagar antes?

Prepare-se para viver sem dívidas

Falar sobre dinheiro é o melhor remédio

Entrou dinheiro extra? Aproveite para acertar as contas!