Uma Iniciativa Febraban
Atualizado em: 12 fev 2020 às 11h e 42m

Negócios que prometem

9 tendências que vão ajudar você a descobrir onde apostar suas fichas em 2020 e nos próximos anos


Se você pretende começar um negócio próprio, abrir novos horizontes ou aumentar seu faturamento, a dica é dar atenção aos movimentos que acontecem hoje na sociedade. Eles ditam tendências e sinalizam boas oportunidades nos mais diferentes setores da economia. Que tal aproveitá-los para construir seu espaço ou se firmar como empreendedor? As dicas e orientações são de Rafael de Souza, consultor de negócios do Sebrae-SP.





O desemprego e o interesse em abrir um negócio sem precisar começar tudo do zero têm levado muitos empreendedores a optar pelas microfranquias, que vêm crescendo no Brasil nos últimos anos. Nesse modelo, os investimentos feitos pelo franqueado partem de R$ 1.000 e vão até R$ 90.000 e os custos de instalação são bem inferiores aos das franquias tradicionais. Muitos dos negócios são operados por uma única pessoa.

São fabricantes de bolos e doces, produtos de beleza, barbearias, pastelarias, academias, escolas, lojas de produtos naturais e por aí vai. Existem quase 550 microfranquias em operação atualmente no país, segundo a Associação Brasileira de Franchising. “Vale ficar de olho nesse setor. Os riscos do investimento são menores, o empreendedor entra no mercado com uma marca conhecida e recebe apoio do franqueador”, destaca Rafael.





O mundo passa por transformações incríveis, que chacoalham a maneira de fazer negócios. Poucos anos atrás, quem imaginaria que os aplicativos de mobilidade urbana, a entrega de comida em casa ou os serviços financeiros digitais fariam tanto sucesso? Esses são exemplos de inovações disruptivas, que surgiram como uma resposta a questões atuais e mudaram para sempre a forma como as pessoas consomem produtos e serviços.

O desejo de ficar mais tempo com a família em vez de usar o tempo livre cuidando da casa, a falta de tempo para cozinhar e a busca por uma alimentação equilibrada são outras demandas que têm impulsionado novos negócios. “É importante que o empreendedor fique atento a elas e observe o pode fazer para agregar valor ao dia a dia das pessoas”, orienta o consultor do Sebrae.





Sabe aquele restaurante bagunçado, onde o consumidor precisa praticamente implorar para ser atendido? Ou aquela loja que tem vendedores que olham os clientes de cima abaixo e dão mais atenção a quem está bem vestido? Elas estão com os dias contados. O consumidor atual busca, acima de tudo, experiências positivas.

 Cada vez mais, o que fará realmente a diferença para o sucesso de um empreendimento será buscar a diferenciação por meio da organização do espaço físico, de um atendimento exemplar e da possibilidade do cliente tocar, testar e experimentar o produto antes de comprar.





Nos últimos seis anos, a população acima de 65 anos cresceu 26%, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A estimativa é que, até 2060, o número de idosos seja superior ao de jovens no país. Nesse cenário, surgem inúmeras oportunidades para negócios direcionados a esse público. Academias de ginástica, serviços de enfermagem e fisioterapia, cuidados domésticos, limpeza, alimentação, lavanderia e transporte são alguns exemplos de atividades em que é possível se destacar.





O estilo de vida contemporâneo é responsável pelo aumento da obesidade, hipertensão, diabetes e outras doenças crônicas. A boa notícia é que cada vez mais as pessoas estão preocupadas com isso e procuram produtos naturais, sem agrotóxicos e serviços que as ajudem a ter mais saúde, qualidade de vida e boa aparência.

 O expressivo crescimento dos produtos para alimentação saudável nos supermercados é a face mais visível dessa demanda. Até alguns anos atrás, eles estavam restritos a uma gôndola. Hoje, ocupam corredores inteiros das lojas. Segundo a pesquisa Food Trends 2020, esse mercado vem crescendo mais de 12% ano. Segundo Rafael, as oportunidades estão na alimentação orgânica, vegana, light, sem lactose, glúten e conservantes.





O mercado de estética e beleza é outro que vem crescendo ano a ano. Empoderamento feminino e homens mais preocupados com a aparência física levaram esse segmento a dar um salto de cerca de 500% nos últimos cinco anos, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos. “Tem muita gente atuando nesse mercado, mas ele irá continuar aquecido por bastante tempo. Vale a pena apostar”, ressalta o consultor do Sebrae.





Os números do IBGE dão uma dimensão do potencial de negócios no mercado de animais de estimação. Existem, hoje, mais de 132 milhões de cães gatos e outros pets nas residências dos brasileiros. Os bichos precisam de cuidados, alimentação saudável, passeio, bem-estar, creche e hotel enquanto os donos trabalham ou vão viajar. “As famílias não medem esforços para investir na saúde e bem-estar seus animais de estimação”, lembra Rafael. A estimativa é que este mercado apresente um crescimento expressivo nos próximos anos.





As pessoas querem objetos de decoração, roupas e acessórios e presentes personalizados, que tenham a sua cara e estilo de vida. Outra tendência, nos últimos anos, é a crescente demanda por produtos sustentáveis, que consomem menos recursos naturais para serem produzidos e geram menos poluentes no meio ambiente. Um exemplo são os itens de limpeza ecológica, à base de ingredientes naturais, que costumam ser vendidos em sua forma concentrada para serem diluídos em casa.





A preocupação com o planeta e com a sustentabilidade financeira pessoal tem levado muitas pessoas a mudarem seus hábitos de consumo. Por que ter um carro, se você pode usar o transporte coletivo ou um serviço compartilhado de automóveis e economizar o dinheiro do seguro, combustível e estacionamento? Essa ideia tem gerado outras inovações, como a compra compartilhada de artigos de pouco uso por grupos de amigos (máquina para limpeza de quintal, por exemplo). Saiba mais sobre na matéria O novo saiu de moda. A onda agora é compartilhar.

 Outro movimento que tem sido observado é o reuso de materiais. Um artigo que não tem mais serventia para uma pessoa pode ser muito útil para outras. O que se observa é o crescimento dos brechós, grupos de desapego e customização de roupas. Para funcionar, além de gente que compra e vende, esse sistema precisa de aplicativos e outras soluções para aproximar os dois elos dessa cadeia. Saiba mais na matéria A onda é desapegar.




Matérias Relacionadas

Planejamento estratégico

Empreendedor, suas contas merecem o dobro de atenção

10 Filmes Sobre Empreendedorismo para se inspirar

15 livros que todo empreendedor precisa ler

>

Empreendendo na maturidade