Uma Iniciativa Febraban

Tire suas dúvidas sobre o pagamento de boleto vencido

A partir de julho, a quitação poderá ser feita em qualquer banco. Saiba como o novo sistema vai funcionar

 

Até agora, se você perder o prazo de pagamento de um boleto de cobrança emitido por um banco diferente do seu, precisará ir até uma agência da instituição emissora para quitar o débito. Mas isso irá mudar a partir de 10 de julho, quando começa a funcionar a Nova Plataforma de Cobrança desenvolvida pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) em conjunto com a rede bancária.

O sistema simplifica o processo de pagamento de boletos bancários no país, permitindo que mesmo contas atrasadas possam ser saldadas em agências, correspondentes, internet banking ou caixas eletrônicos de qualquer banco. Eventuais juros e multas serão calculados automaticamente, evitando a necessidade de pedir a segunda via do boleto. Além de evitar desconfortos aos clientes, a iniciativa irá impedir pagamentos em duplicidade.

Isso porque todos os boletos de cobrança emitidos deverão ser registrados de maneira centralizada, na nova plataforma, que será acessada pelos diferentes canais de atendimento dos bancos. Facilitando, assim, a checagem de dados e o pagamento. A maioria das instituições financeiras já aderiu ao projeto.

A implantação, contudo, acontecerá em etapas, até o final de 2017, começando em julho com os boletos de valores mais altos. O escalonamento se deve ao grande volume de documentos emitidos no Brasil. A cada ano são quitados na rede bancária aproximadamente 3,7 bilhões de boletos. Veja o cronograma:











Saiba mais sobre a Nova Plataforma de Cobrança dos bancos. Entenda melhor como funciona o pagamento de contas na seção “Produtos e Serviços” do canal Você e o Banco.

 

Prevenção a fraudes

Outro importante benefício do novo sistema é a prevenção à fraude em boleto. Esse meio de pagamento, que é utilizado para quitar a compra de produtos e serviços ou fazer doações para instituições beneficentes, vem crescendo em média 12% ao ano desde que foi criado, em 1993.

Nos últimos anos, no entanto, os boletos passaram a atrair golpistas, que se especializaram em promover vários tipos de fraudes. A mais comum é a pessoa receber um e-mail fraudulento ou abrir um link que instala um programa espião em seu computador. Ao fazer uma compra ou acessar o banco pela internet e emitir um boleto, o programa altera o código de barras do documento. Na hora de efetuar o pagamento, o leitor de código de barras apresenta erro e o cliente acaba digitando os números associados ao código de barras. Ao fazer isso, o dinheiro é redirecionado para a conta do fraudador. Somente em 2016, as fraudes desse tipo somaram R$ 383 milhões, segundo a Febraban.

A expectativa é que a nova plataforma de cobrança reduza consideravelmente essas fraudes ao fazer a checagem antes do pagamento e exigir que os boletos contenham uma série de dados, como CPF ou o CNPJ do emissor e do pagador. Com mais informação e controle, a segurança será ampliada.

Você também pode fazer a sua parte, adotando algumas medidas para se proteger. Saiba como na seção “Segurança Bancária” do canal Você e o Banco.




Matérias Relacionadas

Sistema Financeiro Nacional

Previna-se para não cair em golpes. Veja cuidados simples que você pode tomar.