Uma Iniciativa Febraban
Atualizado em: 10 set 2019 às 07h e 17m

Faculdade não tem idade

10 maneiras de retomar o sonho de fazer uma graduação, mesmo que você tenha concluído o ensino médio há muito tempo


Fazer uma faculdade é um desejo de muitos brasileiros, mas emendar a graduação logo após o ensino médio, infelizmente, é uma realidade para poucos. No Brasil, apenas 16,5% das pessoas com mais de 25 anos têm curso superior completo, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Outros 4% iniciaram, mas não terminaram a faculdade.

A necessidade de começar a trabalhar cedo, falta de dinheiro, desemprego, gravidez inesperada e doença na família são alguns dos fatores que costumam levar à desistência ou ao adiamento do estudo. Mas o fato é que, quanto maior o tempo de estudo, maiores as oportunidades profissionais e o salário. Veja como funciona essa relação: Investir em educação aumenta a renda.

Voltar à sala de uma aula é, então, uma ótima ideia, mesmo para quem não tem mais vinte e poucos anos. Se você tem esse sonho, confira maneiras de concretizar e dicas de ouro para começar.


1. Conseguir uma boa nota no ENEM

O Exame Nacional do Ensino Médio, mais conhecido como ENEM, é uma prova nacional que avalia o nível de conhecimento e pode ser feito por pessoas de qualquer idade, desde que já tenham concluído o ensino médio. A nota do ENEM é uma referência na hora de concorrer a uma vaga numa universidade pública, conseguir bolsas ou financiamento estudantil, por exemplo. Você pode acompanhar o calendário das provas e se inscrever pelo site do exame. Você pode pedir isenção da taxa de inscrição, que hoje é de R$ 85,00, desde que atenda aos critérios exigidos.


2. Cavar uma vaga em uma universidade pública pelo SISU

O Sistema de Seleção Unificada – SISU, mantido pelo governo federal, facilita o acesso a universidades públicas a quem consegue boas notas no ENEM. A inscrição é gratuita e pode ser feita pelo site. Para participar, é preciso ter concluído o ensino médio em qualquer época, tanto no ensino formal quando nos exames e programas de qualificação e educação de jovens e adultos: Encceja (nacional), EJA e CEEJA (existentes em cada estado). Outro requisito é ter feito o ENEM no ano anterior e não ter tirado zero na redação.


3. Fazer uma faculdade particular com bolsa do Prouni

O Programa Universidade para Todos – Prouni concede bolsas de estudos, pagas pelo governo, em instituições privadas de ensino superior. Para concorrer às bolsas integrais, é necessário ter renda mensal familiar de até um salário mínimo por pessoa. Para as bolsas parciais (50%), a renda não pode ser superior a três salários mínimos por pessoa. O candidato também ter feito o ensino médio em escola pública ou com bolsa, em escola particular, tirar uma nota mínima de 450 pontos e não zerar a redação no ENEM.


4. Contratar um financiamento estudantil pelo apoiado pelo governo

O novo Fundo de Financiamento Estudantil escalonou o subsídio às bolsas de estudos. Agora, existem duas modalidades: FIES, para quem tem renda familiar mensal bruta, por pessoa, de até três salários mínimos, e o chamado P-FIES, para quem tem renda familiar, por pessoa, de até cinco salários.

A diferença são as taxas de juros. Para o FIES, a taxa é zero. Para o P-FIES, ela varia conforme o banco em que você contratar. Nessa modalidade, nem sempre os juros são baixos. Vale a pena pesquisar em vários bancos. Em ambos os casos, é necessário ter feito o ensino médio em escola pública ou com bolsa, em escola particular, tirar uma nota mínima de 450 pontos e não zerar a redação no ENEM.

O financiamento estudantil funciona assim: você só paga o valor relativo às mensalidades depois que se formar. Durante o curso, você paga os juros do crédito contratado. Por isso, avalie bem antes de contratar, pois é uma dívida que você carregará por muito tempo.


5. Fazer a faculdade a distância

Para quem precisa dar conta dos muitos compromissos que a vida adulta exige, fazer uma graduação à distância pode ser uma alternativa bem interessante. Além de facilitar a rotina de estudos, com mais liberdade sobre quando e onde estudar, os cursos online custam menos. E você ainda economiza com transporte e alimentação. Há um número enorme de faculdades que oferecem cursos online. Faça uma busca na internet para conhecer.


6. Negociar uma bolsa de estudos com a empresa

Muitas empresas estimulam seus colaboradores a estudar e oferecem subsídios para a graduação. Se a sua organização não tem esse benefício, que tal chamar o chefe para conversar e expor os seus planos para aprimorar seus conhecimentos e ajudar sua empresa a se desenvolver? Prepare-se antes para a conversa e demonstre como, estudando, você pode ajudar a melhorar determinado processo ou produto. Assim, sua capacitação pode ser vista como investimento que pode gerar retorno para o negócio no médio e longo prazo.


7. Negociar descontos direto com a faculdade

Outro caminho é pleitear uma bolsa de estudos ou descontos na mensalidade direto com a faculdade. Inclusive cursos renomados, como os da FVG, oferecem bolsas. Os pré-requisitos variam de uma para outra, mas geralmente são considerados a condição socioeconômica do candidato e o desempenho no vestibular e/ou na prova do ENEM. Além de ir direto às secretarias da faculdade onde você tem interesse em estudar, vale dar uma boa olhada em sites como o Portal de Bolsas de Estudos e o Quero Bolsas, que podem ajudar a pesquisar as faculdades e cursos que oferecem descontos.


8. Buscar um crédito estudantil privado

Modalidade de financiamento oferecido por alguns bancos. Em geral, um semestre da faculdade pode ser pago em até um ano – ou seja, uma faculdade de quatro anos pode ser paga em até oito. Porém, assim como os cuidados ao optar pelo P-FIES, você também deve ter em mente que está contraindo uma dívida. Portanto, converse com seu gerente para entender todas as taxas e como os juros incidem sobre o montante do valor que você vai contratar.


9. Ficar de olho nas bolsas de ONGs

Muitas organizações não-governamentais, institutos e fundações, como a Fundação Lemann e Fundação Estudar oferecem bolsas de estudos para fazer a graduação no Brasil e no exterior. Saiba mais sobre elas e acompanhe o calendário de abertura de inscrições: Como concretizar o sonho de estudar fora do Brasil.


10. Começar em qualquer idade

O principal motivo para buscar uma faculdade é o mesmo para quem tem 18, 45 ou 70 anos: adquirir conhecimento. E, para isso, não importa a idade, sempre é hora de começar. Para quem faz essa escolha mais tarde, a universidade é um lugar perfeito para conviver com pessoas de diferentes origens, histórias de vida e faixas etárias. Essa diversidade só enrique o processo de aprendizagem, colocando você em contato com pensamentos e visões de mundo distintos.



Matérias Relacionadas

Investir em educação aumenta a renda

Como bancar seus estudos na crise

Sonha com o diploma? Conheça o Crédito Estudantil

Mudança de carreira: como se planejar para a virada

Aproveite o feriado para dar um up na carreira

Você tem um sonho? Mãos à obra para realizar