Uma Iniciativa Febraban
Atualizado em: 18 dez 2019 às 16h e 04m

Feliz ano novo, empreendedor!

10 dicas para organizar seu negócio e começar 2020 com o pé direito


Quando chega o final do ano, é natural refletir sobre o que foi vivemos nos últimos meses. Buscar entender as oportunidades que conseguimos abraçar, decisões importantes que foram tomadas, temas e pessoas que entraram e saíram das nossas vidas. Para quem tem um negócio próprio, essa reflexão também é fundamental. 

Ao colocar luz nas realizações, conquistas, frustrações, erros e acertos, o empreendedor ganha mais clareza e se abastece de informações para crescer e prosperar. Para ajudar você nesse processo, preparamos 10 dicas para organizar seus negócios e começar 2020 com o pé direito.


1. Resolva as pendências

Sabe a reclamação que você recebeu de um cliente e não retornou? Ou aquele pedido que ficou em aberto? Aquela conversa que um funcionário pediu para ter com você há algumas semanas? Ou, ainda, a reorganização do estoque que você nunca tem tempo de fazer? Agora é a hora de listar as pendências e ticar uma por uma. Colocando tudo em ordem, você já começa o ano mais leve e preparado para o que der e viver nos próximos doze meses.


2. Suas ofertas: separando o joio do trigo

Este é também o momento de olhar o catálogo de produtos e serviços para entender o que deve ficar, o que precisa sair e o que pode receber melhorias. Essa avaliação é sempre muito bem-vinda porque revela um pouco de suas forças e fraquezas – aquilo que você consegue oferecer de melhor e o que precisa ser repensado. Se você tem uma confecção de roupas, por exemplo, analise as peças mais procuradas por seus clientes e que, portanto, precisam de mais atenção e investimento. Se é dono de uma lanchonete, olhe para o cardápio e identifique se ele atende as demandas dos diferentes públicos atualmente. Que tal incluir uma opção vegana, por exemplo?


3. Aposte no digital

Nos dias de hoje, é quase impossível um empreendimento sobreviver ou alavancar se não estiver apoiado em uma estratégia de mídia digital. Quem dá a dica é Rafael de Souza, consultor de negócios do Sebrae-SP. “Se você não está na internet, nas redes sociais, é como se sua empresa não existisse”, afirma. Mesmo que você seja um campeão em vendas no mundo físico, não entender como funciona a dinâmica do mundo virtual pode ser um tiro no pé. Portanto, se ainda não surfa essa onda, procure cursos ou um especialista que possa ajudá-lo a construir a presença da sua marca no meio digital. Esse passo será fundamental para garantir uma comunicação moderna e eficiente e um relacionamento duradouro com seus clientes.


4. Coragem para inovar

Não importa em qual mercado você atua, é preciso inovar. Acomodar-se, ficando parado no tempo, é uma atitude muito nociva para qualquer negócio. Num mundo com uma alta velocidade de informação, muita facilidade tecnológica e consumidores cada vez mais exigentes, se você não buscar inovação, corre o risco de morrer na praia. É sempre importante apimentar seu empreendimento com criatividade e ousadia. Pode ser a criação de um produto absolutamente novo, que nenhum de seus concorrentes oferecem, implementar um novo sistema ou, ainda, pensar num programa de fidelidade para clientes assíduos. Se você quer ir além, comece a criar.


5. Faça pesquisas e olhe a concorrência

Mais do que analisar aquilo que você conhece e domina, é necessário saber o que está acontecendo “lá fora”. Na rotina de um empreendedor, que geralmente está preocupado em executar e equilibrar todos os pratos em uma rotina puxada, é comum esse tipo de estudo ficar para depois. O final do ano é, portanto, um ótimo momento para você pesquisar o que está acontecendo no seu mercado e espiar o que a concorrência anda fazendo. Por que será que aquele pet shop tem mais clientes que o seu? Quais são as ofertas? Quais serviços têm encantando a clientela? Descubra para saber o que pode mudar.


6. Aproxime-se de seus clientes

Ainda na tarefa de levantar informações, você pode aproveitar essa época para ouvir seus clientes. Pode ser interessante tentar entender os interesses e motivações de consumidores dos mais diversos perfis, incluindo aquele que faz tempo que não aparece por aí até o freguês mais assíduo e fiel. Você pode usar a forma que achar mais produtiva e conveniente, dentro do contexto do seu negócio: email, telefone, WhatsApp, pesquisa usando formulários Google ou abordagem no ponto de venda. O que eles têm a dizer é fundamental para você promover melhorias assertivas ou até mesmo mudar sua estratégia para o próximo ano.


7. Aproxime-se da sua equipe

Não importa se você tem um ou cem funcionários. Os colaboradores são parte essencial do negócio, são eles que fazem seu sonho acontecer. Convidá-los para conversa é uma iniciativa que precisa ser feita com frequência, mas que ganha uma especial atenção nesta fase de balanço. Pergunte sobre suas impressões, opiniões e insatisfações. Junto com eles, busque entender quais foram as lições aprendidas, tanto as positivas quanto as negativas, e o que pode ser melhorado.

As informações e experiências que você colher de seus funcionários podem fazer toda a diferença para o seu planejamento. Faça com se sintam tão donos quando você. Se possível, dê bonificações ou presentes que façam sentido. Assim, você começará o ano com uma equipe motivada e coautora do crescimento que virá.


8. Balanço financeiro

Agora é a hora de saber quanto seu negócio cresceu concretamente: isso só é possível olhando para os números. Faça um levantamento de planilhas de vendas e relatórios para relembrar tudo o que vendeu e quanto faturou neste ano. Houve um crescimento financeiro em relação ao ano passado? As vendas caíram? Quais foram os meses mais e menos rentáveis? A que você atribui esses aumentos e quedas? O que aconteceu nesses períodos?

A partir dessa análise, você pode definir seus objetivos. Se conseguiu crescer 5% do ano do passado para este, qual será a meta para o próximo período? Correrá atrás de 10%? Você também pode mapear onde diminuir custos, se vale a pena trocar fornecedores para baratear custos ou fazer mudanças operacionais que resultem em ganho de produtividade.


9. Revisão da estratégia

Se você está na estrada já há algum tempo e usa a ferramenta do planejamento estratégico, esse é o momento de revisá-lo para entender o que continua fazendo sentido e o que você pode descartar. Seu modelo ainda é eficaz? É necessário rever custos e preços? A abordagem do atendimento carece de alguma mudança?

É nessa atividade, inclusive, que você deverá definir quais são os objetivos que irá buscar para o seu negócio no próximo ano: quantos produtos novos você planeja desenvolver? Quais? Quantos funcionários pretende contratar? Quantos clientes novos quer conquistar? Quanto investirá em mídias sociais e outros meios de comunicação? Você precisa fazer alguma reforma ou expansão em suas instalações?

Se você definiu uma meta de 10% de crescimento no faturamento, quais ações colocará em prática para alcançá-la? Leia a matéria Planejamento Estratégico, que traz dicas simples para montar seu planejamento. O mais importante é criar o hábito de revisitá-lo sempre, não apenas no final do ano.


10. Protagonismo e proatividade

Crise econômica, processos burocráticos, altos custos fiscais. O empreendedor vive grandes desafios e só consegue passar por obstáculos se estiver munido de paixão – o combustível que fará com que ele consiga “matar um leão por dia” –, determinação e vocação.

Outras características fundamentais são o protagonismo e a proatividade para entender que os desafios existem, estão em todo lugar e devem ser levados em conta. Mas não podem ser motivo de paralisação nem responsabilizados por tudo o que acontece de errado. Segundo Rafael de Souza, as grandes questões econômicas e mercadológicas fazem parte da zona de preocupação do empreendedor, mas elas não estão em sua área de influência, ou seja, ele não conseguirá modificá-las.

Portanto, ele deve se concentrar no que está da porta para dentro da sua empresa. “Em sua área de influência estão questões que ele pode trabalhar para posicionar melhor seu negócio e obter melhores resultados, como o atendimento ao cliente, revisão de custos, melhoria de processos e seu desenvolvimento como líder”, diz o consultor do Sebrae-SP.

Entender que não pode mudar tudo, mas pode transformar muito é um passo importante para o empreendedor entrar 2020 com o pé direito.




Matérias Relacionadas

Planejamento estratégico

Checklist para você aplicar o controle financeiro no seu negócio

10 Filmes Sobre Empreendedorismo para se inspirar

15 livros que todo empreendedor precisa ler

>

Empreendedor, suas contas merecem o dobro de atenção