Uma Iniciativa Febraban

Comece já a fazer a previsão de contas para 2019

Confira 5 passos para manter seu bolso em dia no próximo ano

 

Fazer o controle de quanto dinheiro entra e sai da conta ou da carteira todos os dias, semanas ou meses é um fundamental para manter as finanças sob controle. Esse hábito ajuda a ter uma noção das contas e a tomar decisões mais conscientes. Saber para onde vai seu dinheiro é um grande passo, mas não resolve uma questão importante: como se preparar para o futuro próximo e garantir que terá dinheiro suficiente para pagar as contas?

Nesse caso, o melhor caminho é fazer uma previsão de receitas e gastos, ou seja, o famoso orçamento familiar. Aproveitando que 2019 vem aí, que tal começar já a fazer sua programação para o ano que vem? Assim, você evita ser pego de surpresa por aquelas despesas que batem na porta praticamente todos os anos. Parece complicado? Na verdade, não é. Veja como fazer isso em 5 passos.

 

Passo 1 – Faça a previsão de suas receitas

Se você trabalha com carteira assinada, basta dar uma olhada no holerite dos últimos meses, e calcular a média mensal da renda que você obteve em 2018, lembrando de considerar sempre a renda líquida, ou seja, o valor que realmente entra na conta depois de todos os descontos de encargos e benefícios. A partir dessa média, você pode estimar quanto dinheiro entrará na conta no ano que vem.

Para alguns profissionais, como empreendedores, autônomos ou vendedores, a renda pode variar bastante no decorrer do ano e estimar um valor médio mensal de remuneração pode ser arriscado. Veja o exemplo do Carlos: ele é vendedor e suas receitas variam entre R$ 2.000,00 mil e R$ 14.000,00 mil mensais.

Neste ano, a renda do Carlos foi a seguinte:

Janeiro: R$ 2.000,00               Maio: R$ 2.000,00      Setembro: R$ 2.000,00

Fevereiro: R$ 5.000,00           Junho: R$ 2.000,00     Outubro: R$ 3.000,00

Março: R$ 14.000,00              Julho: R$ 5.000,00      Novembro: R$ 5.000,00

Abril: R$ 5.000,00                   Agosto: R$ 7.000,00   Dezembro: R$ 2.000,00

Somando tudo o que ele ganhou, o total foi R$ 54 mil. Dividindo esse valor por 12 meses, a renda média mensal foi de R$ 4.500,00. Como o número de meses com renda mais baixa é maior, a sugestão é considerar apenas os valores mais frequentes (R$ 2.000,00 e R$ 5.000,00) para fazer a estimativa das receitas. Em vez de R$ 14.000,00 em março, a dica para o Carlos é considerar que, neste mês, ele irá receber R$ 2.000,00. O valor mensal ficará, então, em R$ 3.500,00.

O dinheiro extra, se entrar, será muito bem-vindo e poderá ser usado para formar uma poupança ou fazer uma pequena reforma, por exemplo. Ser modesto na previsão das receitas ajuda a evitar o risco de não conseguir pagar as contas em determinado mês.

 

Passo 2 – Faça a previsão de gastos fixos

Gastos fixos são aqueles que se repetem todos os meses e têm o mesmo valor. Aluguel, mensalidade escolar, academia, financiamento do carro, parcelas de dívidas e planos de saúde são alguns exemplos. É mais fácil prever essas despesas porque elas não variam. Anote seus gastos fixos e já coloque na sua previsão para 2019.

É preciso estimar um pequeno aumento nos valores para o ano que vem. Como cada serviço irá variar conforme um índice (IGP-M, no caso dos alugueis, por exemplo), considere cerca de 10% de reajuste em cada gasto para ter uma estimativa mais próxima da realidade. Para fazer este cálculo, multiplique o valor da conta por 0,10. Se você paga R$ 1.500,00 de aluguel, multiplique por 0,10 e o resultado será R$ 150,00 de aumento. Considere, então, R$ 1.650,00 no próximo ano.

 

Passo 3 – Faça a previsão de gastos variáveis

Gastos variáveis são aqueles que temos todos os meses, porém seu valor pode variar conforme o consumo – supermercado, luz, gás, água, telefone e combustível, entre outros. Eles são mais difíceis de prever se você não faz nenhum tipo de controle. Por outro lado, são mais fáceis de reduzir quando a situação aperta.

Para prever quanto irá gastar mensalmente com serviços como energia, água e telefone, pegue suas contas dos últimos três meses e tire uma média simples. Basta somar os valores e dividir por três.

Já para prever sua média mensal de gastos com mercado, combustível, produtos de higiene, entre outros, você pode olhar as faturas do cartão de crédito ou o extrato bancário e somar as despesas agrupando-as por categorias. Assim:

# Açougue, padaria, feira e supermercado entram na categoria de alimentação.

# Gasolina, estacionamento, passes de ônibus e lavagem do carro, entre outros, compõem a categoria de transporte.

# Gastos com salão de beleza, vestuário e cosméticos podem ser classificados na categoria de bem-estar.

# Despesas com passeios, barzinhos, cinemas, fazem parte da categoria de lazer.

O importante é ter uma noção de quanto se costuma gastar em cada grupo de despesas e fazer uma estimativa. O aplicativo Jimbo facilita muito esse trabalho porque já traz essas categorias organizadas. É só baixar no celular, gratuitamente, e começar a anotar os pagamentos.

 

Passo 4 – Faça a previsão de gastos eventuais

Ou seja, daqueles gastos que ocorrem pontualmente, seja uma vez ao ano ou em situações esporádicas: matrícula, uniforme escolar, presentes de aniversário e datas comemorativas, revisão do carro, entre outros. Procure notas fiscais, comprovantes, recibos ou examine seu extrato bancário para se lembrar de quanto gastou nas principais despesas deste tipo e coloque na sua previsão.

Nesse caso, vale também estimar um valor mensal para imprevistos, ou seja, gastos extras que podem aparecer devido a emergências como consertos, reformas, tratamentos, entre outros. Veja mais dicas na matéria Check up do bolso – planejamento anual de suas finanças.

 

Passo 5 – Registre suas previsões e veja se os gastos cabem na sua renda

Você pode usar um caderno, uma planilha no computador ou um aplicativo no celular. Anotar suas previsões é essencial para analisar se sua renda será suficiente para bancar todas as despesas. Leia a matéria O controle de suas finanças na palma da mão para conhecer outras ferramentas que podem ajudar a mapear e acompanhar as contas.

Caso perceba que os gastos previstos estão acima de sua renda, será necessário fazer alguns ajustes no orçamento para não ficar endividado em 2019. Confira algumas dicas para ajustar o orçamento: Faça uma caça aos gastos invisíveis e economize.

Se os gastos previstos empatarem com sua renda, você corre o risco de ser pego de surpresa por emergências. Veja as sugestões para garantir um fôlego financeiro.

Se as despesas previstas estiverem abaixo de sua renda, você está a meio caminho de ter uma vida financeira confortável em 2019. Veja como aplicar o dinheiro que sobrar: Prepare-se para tirar seus planos do papel, Hora de investir? Conheça o tesouro direto  e Tesouro direto e poupança: onde é mais seguro investir hoje?




Matérias Relacionadas

Check Up do bolso - Planejamento anual de suas finanças

Despesas escolares

Você está preparado para imprevistos?

Não basta trabalhar, é preciso cuidar do que você ganha